[ editar artigo]

Você tem desenhado ultimamente?

Você tem desenhado ultimamente?

O desenho como representação pode ser considerado uma das primeiras manifestações humanas: imaginar, planejar e registrar uma ideia. O desenho como registro gráfico, é a expressão de algo que nos impressionou, seja esse algo realidade ou imaginação, o desejo de comunicar essa impressão para além do próprio gesto ou da comunicação oral.

A evolução do desenho acompanha a evolução humana, de simples registro a desejo e projeto, a mão humana foi capaz de registrar nossa história ao longo dos anos, desenhando imagens subjetivas e projetando ferramentas e utensílios que nos trouxeram ao digital. Mas ainda é no desenho à mão que a expressão é mais autêntica.

 Desenho de observação, memórias, registros de viagens, desejos futuros, projetos! Poucos traços, muitos detalhes, com cor, sem cor. Às vezes por encomenda, outras, por puro deleite. Lápis, caneta, pincel, cada detalhe funciona como um diálogo entre a mão e a mente. Cada um desenvolve seu caminho, seu traço, sua técnica e seu gosto pessoal.

Esse texto foi escrito para a curadoria da mostra Desenho? , apresentada no Pavão Cultural em 2019. Mas qual a importância do desenho à mão, numa época em que tudo é digital? Não só o desenho, mas a escrita, o bordado, a tecelagem e as várias habilidades manuais que estão diretamente conectadas à nossa imaginação. Só realizamos aquilo que somos capazes de imaginar e só desenvolvemos habilidades conforme as praticamos. Segundo a Teoria da Evolução das Espécies, as habilidades que não usarmos poderemos perder com o tempo!

Nesse período de isolamento, e com todas as incertezas que nos cercam, escrever e desenhar pode ser uma excelente terapia. E não existe saber ou não desenhar, assim como cada um tem sua letra na escrita, cada um desenvolve seu traço no desenho. É só questão de começar!

Dicas de perfis para inspiração:

@nudesenhos(oficial)

@rabisqueiroscoletivo

@urban_sketchers_brasil

 

 

Transformação Criativa
Teresa Mas
Teresa Mas Seguir

Arquiteta de formação e curiosa por opção, tive oportunidade de trabalhar em diversas áreas, viver em diferentes cidades até achar meu próprio lugar. Hoje me interessam lugares incomuns.

Ler conteúdo completo
Indicados para você