[ editar artigo]

Transição de Carreira - Estabilidade x Impermanência

Transição de Carreira - Estabilidade x Impermanência

Uma das maiores questões na hora de decidir sobre a transição de carreira é o medo de lidar com a impermanência que este movimento exige.

Muitas vezes ficamos presos à ideia de que é preciso certa estabilidade para nos sentirmos seguros em mergulhar naquilo que realmente queremos para a nossa vida profissional, ou em algo completamente novo.  Não há nada de errado nisso, mas é preciso ter em mente que estamos vivenciando uma grande mudança de paradigma em relação às formas de trabalho que eram tradicionais até agora.

No livro A Grande Magia, Elizabeth Gilbert traz a ideia de lidarmos com a nossa criatividade com uma postura cuidadora ao invés de exigir dela um cheque mensal. Essa ideia fez muito sentido pra mim porque sempre me senti como uma servidora da minha criatividade e não o contrário.

Durante a minha trajetória profissional, transitei por áreas muito distintas, sempre em busca da tão sonhada realização pessoal e, é claro que por muitas vezes, me senti apavorada com a ideia de não saber quanto receberia no final no mês.

Para além disso, sou uma criativa que sente também a necessidade de ter certo controle sobre as minhas possibilidades de receita. Não me sinto nada confortável em lidar com uma sazonalidade financeira e por isso sempre tive o cuidado de "não colocar todos os ovos na mesma cesta".  Sempre tive atividades que me mantinham financeiramente saudável como suporte para realizar aquilo que me alimentava a alma, mesmo que não fosse o emprego dos meus sonhos. 

Não é vergonha nenhuma ter um emprego fixo que sustente a sua necessidade de criar, desde que você esteja bastante consciente do lugar que esse trabalho ocupa na sua vida para não permitir ser consumido por ele.   

Neste contexto, gostaria de trazer aqui um conceito que diferencia a instabilidade da impermanência.

O termo instabilidade pressupõe um desequilíbrio uma ausência de estrutura e assusta mesmo. Ter medo da instabilidade quando se quer construir algo novo é completamente compreensível, ainda mais no cenário que vivemos hoje.

E se pudéssemos encontrar uma estrutura dentro da instabilidade?

É aí que surge o termo impermanência. Estar em constante transformação e lidar com isso de uma forma dinâmica, trabalhar nossa capacidade de adaptação, resiliência, visão de oportunidade e, sem dúvidas, melhorar a nossa criatividade.

Podemos entender como lidar com a impermanência no âmbito profissional, olhando para o que está acontecendo no mundo hoje.

Com o advento da pandemia, o comportamento do consumidor em geral se tornou muito mais digital e isso possibilitou a ressignificação dos modelos de trabalho nas empresas e o mesmo se aplica também para os projetos pessoais.

O que entendíamos sobre estabilidade, acaba também por ganhar uma nova roupagem no que diz respeito aos recursos financeiros, humanos e qualidade de vida na hora de firmar um contrato de trabalho.

Enquanto antes era comum procurarmos esta estabilidade em grandes empresas que nos ofereciam um ambiente de trabalho pautado em um lugar fixo, com um horário certo pra entrar e para sair,  uma estrutura de demanda verticalizada, com um chefe que dizia exatamente o que deveríamos executar, hoje já não é mais uma opção tão atrativa assim para as empresas nem para o profissional.

As habilidades do profissional criativo de hoje e do futuro, estão muito mais ligadas à uma boa gestão de tempo e principalmente inteligência emocional para saber lidar com a demanda de trabalho que chega por todos os lados e a qualquer hora.

Impermanência está diretamente ligada a autonomia. 

Como sou uma pessoa muito visual, gosto de fazer uma analogia imagética da impermanência com um barco no mar.

Há estrutura dentro de um barco, mas essa estrutura precisa ser flexível o suficiente para não quebrar. É preciso estar atento aos ventos para não ficar à deriva. É preciso ter pulso firme para segurar o timão diante de uma tempestade e, é preciso saber lidar com o movimento para não enjoar. Também é verdade que nem todo mundo tem estômago pra isso, mas se você quer se tornar um bom marinheiro é com a impermanência do mar que você precisa aprender a lidar.  

Se você quer desenvolver a sua capacidade de lidar com a impermanência, venha me chama e vamos conversar sobre a Mentoria Cria Intuitiva. 

Se quiser visitar o meu perfil no Instagram, clique aqui

Se você preferir também pode me mandar uma mensagem pelo whatsapp, clicando aqui. 

 

Transformação Criativa
Nati Valle
Nati Valle Seguir

Natália Valle, é escritora, arteterapeuta e mais uma daquelas pessoas criativas que joga nas 11 posições para realizar os próprios sonhos e os sonhos daqueles que caminham junto, porque acredita que nesse mundo não se faz nada sozinho.

Ler conteúdo completo
Indicados para você