[ editar artigo]

Trabalhamos de maneira inconformada para chegar até aqui:

Trabalhamos de maneira inconformada para chegar até aqui:

somos inconformados porque não admitimos que há alguém acima de nós, não aceitamos estar deliberadamente abaixo de alguém, não concebemos o fato de ter alguém que manda e nós obedecemos. e só conseguimos ser artistas pois sabemos humildemente que nosso lugar é estar dentro, no interno, olhando para esse Deus que é tão único e capaz de estruturar todas as possibilidades divinas que existem e tocam nosso mais genuíno amor.

Deus está dentro dos artistas inconformados que em nosso corpo habitam. E nós escolhemos quem seremos. Que não se cansam até que encontrem o verdadeiro sentido e sentimento das coisas, que nos faz dar saltos quânticos altíssimos para a compreensão de tudo aquilo que aqui existe.

não somos mandados por nada e por ninguém, até por que se fosse uma ordem imperativa de Deus, os seres humanos não usariam o nome Dele para criar tantas guerras. Estaríamos todos muito em paz e em um lugar incrivelmente paradisíaco. Estaríamos todos no mais alto escalão da boa sucessão para uma nova era de projeções, sucesso e abundantemente muito bem servidos, pois assim obedeceremos o serviço de cumprir com verdadeira palavra de um Deus todo poderoso que tudo dá a nós, com alegria e glória. Pois não é assim que vivemos. Não é assim que a grande maioria de nós vive.

e faz de um todo a possibilidade de existir tantos artistas incompreendidos quanto os inconformados, pois em um mundo como esse, nenhum de nós quer ser tratado como louco. Nenhum de nós quer assumir o risco de não se sentir pertencente a um grupo, excluído, abandonado e marginalizado por atos daqueles que se frustraram tanto quanto nós. É exatamente por isso que muitos de nós acabam por não assumir riscos tão altos e usam suas fugas para se afundar cada vez mais em suas desgraças e traumas, buscando conforto naquilo que faz com que nos percamos cada vez mais e mais.

É assim. A grande maioria de nós artistas inconformados já foi assim: saí de casa cedo, tem histórias hilárias e comoventes para contar de aventuras pelo mundo,  faz inúmeras coisas para garantir seu sustento e já trabalhou com milhares de coisas. Eu sei porque conheci um bocado delas e posso dizer com toda a convicção que sou uma delas. A gente se reúne pelo mundo, em muitos encontros e desencontros. Fazemos alguns elos que são muito mais fortes que nós e que entendemos que é a verdadeira conexão divina. Encontramos amigos, irmãos de alma e coração, companheiros e famílias inteiras destes grandes artistas inconformados com aquilo que eles tanto viram. E em determinado ponto em sua solitude, escolhem viver suas grandes missões, a flor da pele de todas as suas emoções.

tudo mesmo, vivemos tudo até que encontramos o nosso breve equilíbrio que com certeza será bagunçado cedo ou tarde pelas personas e personalidades icônicas que vivem dentro de cada um de nós. E esse desequilíbrio também é bom, ele renova a nossa fé. Recria novos cenários sem medo de deixar para trás aquele que ficou no passado e a ideia anterior que não foi aproveitada. Nos faz muitas e muitas vezes reformular aquilo que ressoou novamente (como o meu sonho de ser artista) e só faz acreditar nas ideias mais malucas e desenfreadas. 

neste desequilíbrio encontramos o ponto de partida pelo qual um dia paralisamos: o medo. (a gente vai ter de olhar é nele que mora a deturpante ruptura das grandes ideias, birrazo não?)

somente os inconformados têm a coragem de olhar para esse medo e não paralisar e simplesmente seguir em frente. Somente os incompreendidos se colocam no lugar de vítima de toda essa situação e esperam que um dia um ímpeto selvagem seja complacente com eles e o entregue a sua frente alguém que seja um inconformista (pois obviamente que eles mesmos não irão querer arcar com o custo de ter que se desfazer do seu papel de contadinho).

somente os inconformistas tem a capacidade de pegar esse medo pela mão, leva-lo para passear sem contar onde verdadeiramente vamos e ao sair de casa tem um veículo (seja ele uma vassoura, nave espacial, carruagem ou mesmo um carro) guiado pela coragem e no banco do carona a criatividade. Assim somos, despretensiosamente seres que não se sentem incompreendidos por estarem cheio de si e completos de Deus, que encontram tantos outros pelo caminho da mesma forma. 

Inconformistas e incompreendidos não ocupam o mesmo lugar, é física isso. Newton já deixou isso muito claro, e todos nós já testamos as probabilidades disso. É fato, experienciado e vivido por todos, temos o dedinho da criação sobre nossas gargantas capazes de expressar em palavras, sejam elas ditas ou escritas o que em nosso coração se expande. Assim somos, detentores da capacidade de escolher qual tipo de artista que seremos, mesmo que tenhamos obras renomadas ou apenas cadernos de colorir que nem sequer precisamos fazer desenhos para pinta-lós.

 

FAZ SENTIDO PARA VOCÊ?

com amor, D.

https://www.instagram.com/and.art.co/

Transformação Criativa
Andressa Martins Padilha
Andressa Martins Padilha Seguir

Me chamo D, de andressamartinspadilha. CEO da And. art - Expansão Criativa e produzo uns textos sem pé nem cabeça que fazem todo sentido. Vivendo nesse mundo, desenvolvendo estratégias e uns planos de negócios que fazem sentido só na NOVA ERA.

Ler conteúdo completo
Indicados para você