[ editar artigo]

Por que você precisa ser singular?

Por que você precisa ser singular?

Começo dizendo que a singularidade pode ser uma maneira de expressar aquilo que nos une, mesmo sendo uma ação individual e exclusiva de cada um. Falo isso para não causar um espanto, pois nesse artigo vou tratar diretamente da individualidade. Não vou simplesmente dizer o que é singularidade e dar dicas obvias, a ideia aqui é uma conexão, uma prática íntima e interna.


Tudo bem se agora você não estiver em um bom momento para se aprofundar no tema, volte aqui outro dia e leia novamente com mais atenção, deixe um lembrete e vá respirar um ar fresco. Porém se o fogo da sua curiosidade estiver no apogeu, se prepara que vamos incendiar tudo aqui e agora.

Já da o play aí para iniciarmos o diálogo.

 

Foram vários motivos que me fizeram escolher esta música para contemplar sua leitura, a começar pela expressão da "loucura", que gosto de associar com a mesma loucura de Dom Quixote De la Mancha, pois fala daquela loucura que se torna sanidade diante de um mundo incompatível com suas ideias mirabolantes e visionárias, ideias que falam e contam quem é você, conseguindo expressar sua singularidade através de suas ações "loucas" e inspiradoras.
Também escolhi essa música pelo seu vídeo, a arte apresentada faz referência a uma técnica chamada klecksography (a arte de criar imagens a partir de manchas de tinta) muito difundida pela psicologia com a técnica de avaliação pictórica chamada de Teste de Rorschach, que tem o objetivo de avaliar fatores da personalidade do paciente.

Mas o que tem a ver manchas de tinta em um papel, com a singularidade de uma pessoa? E onde que a loucura faz sentido nisso tudo?

A começar que a mancha de tinta parte de um princípio de despadronização, algo que exige um nível elevado de interpretação de cada um, como por exemplo: se você pegar um maço de papel e jogar para cima, as folhas irão formar uma dinâmica particular e pouco previsível, e se fizer isso 10 vezes dificilmente as folhas cairão no mesmo lugar. Isso já expressa um pouco da singularidade das coisas, da mesma forma que, se você jogar um pouco de tinta em uma folha, dobrá-la e depois de abrir buscasse encontrar formas que associasse com seu repertório, você estaria encontrando a singularidade nesse ato.

Cada um de nós possuímos ações que nos tornam únicos, e temos por inclinação natural apreciar aquilo que é único na outra pessoa, seja em uma maneira de expressar algo, de cantar, pintar, criar. Basta tentar lembrar das pessoas que você admira, sejam famosos ou não, e tentar achar os diferenciais nela, não será difícil.
Já pensou se grandes seres humanos que tiveram um papel importante na construção do futuro, que hoje representam nosso presente, tivessem expressado o "mais do mesmo"? Provavelmente nós não estaríamos falando de suas obras seculares, pois quando você solta para o mundo aquilo que só existe em você, é como se você tivesse deixado sua assinatura no espaço-tempo, e isso significa singularidade.

Pode parecer estranho para muita gente falar de singularidade, pois realmente estamos habituados com a repressão do diferente, dos loucos, dos inconformados com o normal.

Ser singular é saber que dentro de você existe uma chama de propósito, um fogo que arde e que pode iluminar anos à sua frente, que pode servir de ferramenta de inovação, e que anda lado a lado com a criatividade.

Podemos refletir através de algumas brilhantes citações de "loucos" que já pisaram nesse chão terrestre...

"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música."
                                                                                                  Friedrich Nietzsche

"Quero a certeza dos loucos que brilham. Pois se o louco persistir na sua loucura, acabará sábio."
                                                 
                                                           Raul Seixas

"Os loucos são certos numa sociedade errada."

                                                            Lao-tsé

"Nunca existiu um gênio sem uma pitada de loucura."
                                                             
                                                                    Aristóteles

 

Eu espero que tenha feito sentido para você, e quero saber sua opinião sobre isso.
O que é a singularidade humana no seu ponto de vista?
Estou aqui pra gente bater um papo Sérgio Silva ou Galgar.br
Ou saber mais sobre meu trabalho no meu site GALGAR.ORG

Estamos juntos nessa jornada!

Transformação Criativa
Sérgio da Silva
Sérgio da Silva Seguir

Sou Sérgio Silva, creio em um mundo melhor construído através da Criatividade, Tecnologia e Seres Humanos. Sou consultor de negócios que precisam de uma luz diante da escuridão matadora provocada por mudanças rápidas demais. E fundador da Galgar.org

Ler conteúdo completo
Indicados para você