[ editar artigo]

QUEM NUNCA PERDEU A CRIATIVIDADE NO EXATO MOMENTO QUE ESTÁ BASTANTE INSPIRADO?

QUEM NUNCA PERDEU A CRIATIVIDADE NO EXATO MOMENTO QUE ESTÁ BASTANTE INSPIRADO?

Fico perdida toda vez quando estou muito inspirada, com bastante foco, mas TRAVO principalmente quando sento em frente à escrivaninha junto ao computador para cumprir os horários de trabalho ou produzir algum conteúdo para as mídias sociais.

Daí me pergunto: Cadê a criatividade que estava aqui? Onde foi aquela toda inspiração?

Quem nunca passou por isso antes? Você sabe quando é que a criatividade tende a falhar muito? Quando a nossa cabeça cansa, ou mesmo quando tocamos bastante na mesma tecla. Quando ficamos tão focados quase que tudo começa a acontecer em modo automático. E modo automático é ruim quando se trata de usarmos o nosso lado criativo.

O problema reside quando isso nos acomete nos momentos em que mais precisamos produzir, como por exemplo, no começo de um novo projeto, inovar em algo ou criar novas ideias. Por isso, ao invés de entrar em pânico, é preciso se dar um tempo e permitir que a mente volte a funcionar naturalmente, já que não há nada mais infrutífero do que ficar insistindo até entrar em desgaste.

Quanto mais crescemos menos criativos nos tornamos isso é um fato. Por isso é muito importante questionarmo-nos mesmo sobre que tipo de pessoas criativas a gente é. Quanto mais perguntas você fizer, quanto mais você observar detalhes, quanto mais você tentar entender como as coisas funcionam, MELHOR.

Tem muitas coisas que podem parecer bobas, mas que fazem toda a diferença no processo criativo. A primeira delas é entender que criatividade não é dom divino, é prática, que não flui com muita facilidade quando estamos atentos, mas muitas vezes quando desatentos.

Mas, talvez o mais importante de tudo isso, é a gente saber e entender o que funciona melhor para nós, PORÉM, devemos sempre dar o primeiro passo.

Toda vez que a minha criatividade vai embora sempre busco fazer essas 4 coisas:

  1. Ouvir músicas que amo;
  2. Pensar em um trabalho bem feito que fiz;
  3. Olho para o sol COM A MÚSICA NOS OUVIDOS;
  4. Fecho os olhos e aprecio a música, imaginando como é que a minha mãe resolveria aquele mesmo trabalho;

E sempre lembro daquela velha história de:

- E se eu cair?

- Ah, MEU AMIGO, e se EU VOAR?

Cri ative-se !!

 

Transformação Criativa
Maria Pongue
Maria Pongue Seguir

Eterna sonhadora. Crente e empreendedora, pós graduanda em Engenharia Ambiental, em Coaching executivo e Liderança Sustentável. Tenho como missão de vida, ajudar as pessoas a desenvolverem o seu potencial para criarem mudanças positivas no mundo

Ler conteúdo completo
Indicados para você