[ editar artigo]

Na dúvida, faça

Na dúvida, faça

Que diferença faz se escrevo ou não, se filmo ou não, se desisto ou não?

Quando acho que as coisas deram errado por causa das expectativas que criei? o que eu faço? Eu tenho duas alternativas: sentar e chorar ou sentar, chorar e recomeçar

Essa é a diferença entre amadores e profissionais.

Porque se me disponho a fazer, tenho que fazer. O tempo não é problema. Cronograma também não. Quem estiver envolvido vai entender que você precisa de dois minutos pra pensar, reorganizar, replanejar. Elas querem o melhor. Por isso elas entendem que o melhor a se fazer, agora, é ter uma pausa ou até mesmo um adiamento.

Porque quero ser um profissional, então dou meu melhor em todas as circunstâncias e oportunidades. Por menor que elas aparentem ser. Só aparentem, porque as oportunidades nunca são só “mais um trabalho”.

Independente das adversidades, as pessoas terão o melhor do meu trabalho.

Soluçar problemas pontuais e imprevistos é ser profissional.

Solucionar problemas pontuais e imprevistos antes que eles aconteçam, também.

Porque um profissional meio que prevê o futuro.

Com uma visão meio nebulosa, sim, mas com uma ideia de como esse futuro se parece. Porque as coisas tendem a se repetir. Principalmente quando não planejo, me organizo.

Ou quando me prendo demais a um roteiro ou ideia. Me fecho a novas possibilidades e é difícil improvisar, quando preciso.

Preciso ouvir mais jazz de novo. Porque filmar/dirigir/escrever/criar, é jazz, também. Enquanto escrevo isso, ouço ‘Giant Steps’, de Coltrane. Coltrane nunca se prendeu a uma única possibilidade. E ele mudou a música, mudou o jazz. 

Eu? Quero mudar meu trabalho e a forma que crio. Quero me revolucionar, assim como Coltrane revolucionou o mundo soprando um instrumento.

Por isso anoto tudo. Cada final de dia de captação, tenho uma reunião comigo mesmo e me pergunto onde errei e como melhorar. E como solucionar os problemas que encontrei ontem.

Então, que diferença faz se eu tento ou não?

Na dúvida, faça.

No medo, faça. No desespero, também.

Transformação Criativa
Gustavo, do Em processo criativo
Gustavo, do Em processo criativo Seguir

oi! eu me chamo Gustavo! e sou o editor do "Em processo", uma comunidade que pensa a criatividade e o fazer artístico como ferramenta de mudança, pessoal e/ou coletiva. pra conhecer mais sobre nossa comunidade, estamos em @emcriativoprocesso :)

Ler conteúdo completo
Indicados para você