[ editar artigo]

Mais um texto sobre bloqueio criativo. Será que é bloqueio mesmo?

Mais um texto sobre bloqueio criativo. Será que é bloqueio mesmo?

Há uns dias que estou repensando várias estratégias do meu conteúdo e por um momento me peguei pensando "não sei sobre o que escrever".

Será um bloqueio criativo? - pensei. Mas tenho várias ideias de conteúdos e caminhos para seguir em temas e listas de ideias no Trello, então isso não era um problema.

A questão era a necessidade de parar para pensar exatamente sobre essa "demora" para criar. Por vezes, nos cobramos querendo ser super produtives, querendo espremer texto à todo custo. Acontece muito quando se trabalha como redatora, já que é necessário escrever para outras pessoas.

Então, quando fui escrever pra mim, fiquei nessa de "oh, minha deusa, o que vou escrever". Não dá pra entrar nessa. Se você perceber que está indo por esse caminho de limbo, presta atenção aqui: eu ouso dizer que o tal "bloqueio" criativo não é bloqueio coisa nenhuma.

Ok, tem momentos em que estamos saturades, - te digo por experiência própria de quem saiu de uma faculdade de direito com medo de ter desaprendido a escrever e ficou quase 2 anos sem conseguir ler literatura -, eu sei que existem momentos em que o cérebro fica gelatinado e é mais difícil sair arte da geleca.

Maass, será que é bloqueio mesmo? Ou isso é o nosso processo interno criativo?

Bloqueio criativo ou processo interno criativo?

É chegada a hora do carinho. Hoje falei com o Gustavo do @emcriativoprocesso (veja o Instagram desse guri de Recife, vale muito a pena), sobre como precisamos ter um olhar carinhoso sobre nosso próprio processo criativo.

Ele comentou como ainda é difícil pra ele porque ainda tem um olhar de autocrítica forte. Eu diria que eu também tenho. Mas a questão é que para fluir precisamos ter consciência de que também criamos no INCONSCIENTE e esse "bloqueio" pode na verdade ser o nosso processo interno criativo.

Necessitamos de tempo para criar. Seja uns dias, umas horas, semanas... E respeitar esse tempo de criação é importante para não perder a cabeça pelo caminho.

Antes de iniciar esse texto fiquei uns minutos na sacada observando o trânsito de pessoas e carros (engraçado como pra mim observar o trânsito é meditativo). Esse período em que estamos em "bloqueio" está longe de ser bloqueio, pois é como o caminhar das pessoas.

Não é porque não estamos escrevendo (ou a arte que seja que você faz) que está tudo bloqueado. Bloquear é estar parada, em estagnação. Mas a nossa mente não está parada, está em zilhões de sinapses por segundo e cria ideias, formula projetos, e se compreende melhor ao buscar autoconhecimento. E isso é processo interno criativo.

Processo interno criativo é nosso constante caminhar

Portanto, sob esse ponto de vista, o bloqueio não existe. Porque é na verdade processo, é caminhar interno.

Quando estamos a caminhar na rua não estamos em nenhum lugar específico, nem produzindo nada (além de um pouco de suor e respiração) mas, estamos saindo de um ponto e indo para outro ponto no mundo.

E o processo interno criativo é isso. É o nosso caminhar interno de um Ser anterior e um próximo Ser. Tudo é movimento e sempre estamos em movimento, mesmo quando parece que estamos bloqueades.

Autocrítica é importante pra gente estar em constante evolução na nossa criação. Respeitar nosso tempo de criação também é. Isso é sobre dedicar um pouco mais de carinho e autocompaixão pelos nossos caminhares internos.

Quando bater aquela de "bloqueio criativo" lembre-se desse texto e observe o seu trânsito interno, caminhe por essa trilha de mãos dadas com a autocompaixão com a certeza de que você está a criar, pois a força da criação é inesgotável.

Eu espero que essa reflexão te leve a pensar sobre si com mais carinho e relaxar quando se sentir com bloqueio. Se sentir de comentar como é esse processo pra ti, conta aqui embaixo nos comentários.

Até o próximo texto de escrita conectiva! (eu dei esse nome pro meu jeitinho de escrever, hihi).


SOBRE A AUTORA

Artista, escritora, criadora de conteúdo, redatora. Exploradora de caminhos da Escrita Conectiva. Misturo pronomes, uso linguagem não binária, às vezes escrevo meio português de Portugal pra não usar o gerúndio e nem sempre uso letra maiúscula, acostume-se.

Estou começando a dar mentorias de criação de conteúdo e negócios digitais. Tu me acha também no Instagram @bibiana.rabaioli, pelo meu site aqui, no LinkedIn aqui e no Medium aqui.


P.s.: sim, escrevo com a letra "e" em lugares que você pode ter pensando que está errado. Mas, mas não está e é porque estou me esforçando para usar a linguagem neutra (não-binária), nova linguagem mais inclusiva e respeitosa com as pessoas que não se identificam com os gêneros binários feminino e masculino.

A língua portuguesa precisa evoluir com a sociedade, é isso. Beijos.

Transformação Criativa
Bibiana Rabaioli
Bibiana Rabaioli Seguir

Criadora de conteúdo, aspirante à nômade digital. Vegana, praticante de Yoga. Criação de conteúdo com liberdade, simplicidade e criatividade. Marketing digital pra ensinar mulheres empreendedoras a criarem o próprio conteúdo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você