[ editar artigo]

E o borogodó brasileiro, de onde vem?

E o borogodó brasileiro, de onde vem?

Aqui, tô falando do artesanato, mas acho que é válido para todo o contexto cultural desse maravilhoso país.

No Brasil, os índios foram os primeiros artesãos que se tem registro. Desenvolveram utilitários, utensílios, indumentárias e adornos usando como matéria prima argila, sementes, folhas, peles, penas, pigmentos naturais, etc.

Supriram suas necessidades criando artefatos com o que a natureza lhes oferecia.

Hoje ainda encontramos lindos trabalhos realizados por diversas etnias, tendo cada uma delas suas próprias características e manifestações. Sejam cestos, cocares, potes e outros diversos objetos que são vendidos como artesanato para o mundo inteiro.

Com a vinda dos colonizadores portugueses, uma grande diversidade de novos artefatos começaram a serem introduzidos no país; artesanatos típicos da região de onde vieram que foram acrescentados à cultura do Brasil. Como, por exemplo, a arte distinta das lindas rendas de bilro que encontramos no nordeste e em Florianópolis.

Depois chegaram os africanos durante a época da escravidão, que trouxeram para cá sua diversidade única, cada um, com o conhecimento de sua região e etnia, acrescentaram seus trabalhos manufaturados, principalmente em barro e madeira, introduzindo suas belíssimas e contrastantes cores, seus fascinantes instrumentos musicais.  

Numa próxima fase, chegaram os imigrantes, onde uma mescla de raças (alemães, italianos, espanhóis, japoneses, etc.) com suas culturas mais diversas trouxeram seus conhecimentos e artes para o Brasil.

Com o passar do tempo, novas culturas vieram somar: refugiados de seus países de origem, por guerras e/ou por miséria, buscando aqui novas oportunidades e trazendo com eles toda sua bagagem cultural e de saberes.

O Brasil, por sua dimensão continental e por conta desta soma de tamanha diversidade é, com absoluta certeza, o país que possui um dos mais ricos e variados artesanatos do mundo! E isso é reconhecido internacionalmente.

Cada região possui suas manifestações únicas, porque o artesanato encontrado ali tem seu desenvolvimento a partir da matéria prima disponível, da cultura local e de tantos outros fatores mesclados que para ser entendido, teria que haver um estudo mais profundo.

O certo é que, para a criatividade humana, não há limites. E, quando se une a ela a diversidade cultural, a mescla de tantos elementos para o desenvolvimento da arte e do artesanato, seja por qual necessidade que foi gerada, não há como não se fascinar pela capacidade humana em criar.

Como seria legal ter um documentário sobre o artesanato brasileiro, um levantamento que não fosse apenas acadêmico, mas dando uma verdadeira valorização do artesanato e seu profissional como uma economia de grande relevância para a humanidade. Afinal, foi um dos primeiros trabalhos de nossos ancestrais. Fundamental para a sobrevivência de nossa raça e, portanto, de estarmos aqui, ainda, habitando este lindo planeta... tô errada?

 

Esse é um aspecto de como estou vendo agora, diferente do que vi lá atrás e, bem certo, que será diferente lá na frente. Porque a flexibilidade é o que quebra as resistências.

Transformação Criativa
Estela Pacheco
Estela Pacheco Seguir

Estou sempre em busca de mim mesma. Uma multipotencial. Já experimentei e ainda quero experimentar o que as minhas escolhas têm a me oferecer. Artesã/assistente virtual/poetisa/multiempreendedora/cuidadora de cães/""paupratodaobra"...

Ler conteúdo completo
Indicados para você