[ editar artigo]

Borogodó Pandêmico

Borogodó Pandêmico


Em tempos de Pandemia quem faz terapia é o mais sã da comunidade? Oi? 

Acorda, medita, presta atenção na respiração, prepara um bom café, veste um sorriso na cara e sai para trabalhar. A tal da rotina! Quem gosta? 

Eu gostava até que, bem antes do Corona chacoalhar o mundo, resolvi que meu Borogodó estava piscando... Praticamente sem bateria, sem cor, sem rumo... Sem aquele friozinho na barria de fazer algo novo. 

Decidi que era hora de mudar, mas quem disse que meu lado seguro me deixou livre? Foi então que percebi que o Borogodó é igual Levain, embora natural, precisa ser alimentado e cuidado diariamente, com paciência e dedicação. 

Ahhh, mas e a Pandemia? Bom, ela veio para aguçar o nosso Borogodó e nos tirar de uma zona de conforto. Afinal, conforto pode ficar na nossa cama quentinha, bom mesmo é pular em algo que nos traga um friozinho na barriga, mas abra um sorriso a cada dia cansativo! 

Transformação Criativa
Tina Julidori
Tina Julidori Seguir

Esposa, mãe, engenheira e apaixonada por esporte. Procurando o tal do Boroodó e brincando de escrever aqui e no @cafe_com_corrida. Nascida e criada no sul de Minas, em uma cidade com espírito criativo - Santa Rita do Sapucaí.

Ler conteúdo completo
Indicados para você