[ editar artigo]

A última esperança por perdão.

A última esperança por perdão.

Eu acredito em tanta coisa que nem sei mais no que crer de fato.

Contudo, todavia e entretanto seria a única verdadeira, que nunca mudei de opinião no poder do perdão, como ferramenta de restabelecer a ligação dos seres humanos nesta grande teia da vida.

Desta vontade que parte sempre a ação de se auto perdoar antes de perdoar o a quem, onde nos reconhecemos e temos um vislumbre de refração que em espera à nossa frente sempre está.

Ali em espera de reconhecimento de si mesmo e muito que provável a serviço do outro.

Em uma palestra do mario sergio cortella ele fala sobre a fé e a capacidade de esperar, porém refere-se ao verbo esperançar, não ao fato de ficarmos ali parados sem ação ou movimento aguardando que o outro tome uma decisão do que irá fazer com aquele monte de entulho emocional, deturpado pelas falsas expectativas e projeções que fora imaginada daquele ser que nas profundezas é idêntico a você.

“da origem da palavra esperança

que significa expandir, aumentar, ter êxito, levar qualquer projeto adiante, seja ele de ordem física ou psíquica. Spe dará em latim spes e daí a nossa esperança. Da mesma etimologia temos prospere que significa prosperar, evoluir conforme o esperado, tornar-se próspero.”

Baseada na premissa que me é informada pelo dr google, esperança de algo que é próspero, que é atingível, que é capaz de transformação e transmutação do que antes não havia perdão algum, nem sequer uma nesga de luz para que se torne o inverso do que era antes.

O reconhecimento do perdão inicia por si e parte do mesmo lugar em direção ao outro, onde o outro que ali como espelho, a sua frente refletido, possa ser incorporado em  você e encontre aquilo que antes era outro tipo de conexão. 

Herdamos talvez esta mania de sempre projetar no outro aquilo que nos inunda por dentro. Independente se aquilo é positivo ou negativo, afinal a máxima do perdão é atingir uma dose de consciência mais elevada, que na sua maioria torna-se mais fácil dicotomizar o preto do branco e dividir os mundos em opiniões polêmicas, agressivas e depreciativas. E olha que lhes digo, o ser humano tem um determinado tesão visceral em querer resolver as coisas desta maneira, atraindo pra si nada de poder e nem elevação, apenas mais viras e mais revoltas neste mundo sistematizado e rígido.

Continuamos reféns de crenças que norteiam nossas vidas, ficando a cargo somente do nosso subconsciente a capacidade de discernimento sobre as nossas ações. Bom, aí você já deve a esta altura do campeonato ter ouvido a ficha cair no seu cérebro, de quanto teus movimentos na vida são tomados por algo que você não possui poder nenhum. Você e eu não passamos de pobres ventríloquos reféns de um sistema que nos força sempre separar ao invés de unir e compartilhar.

Sim, sua vida não passa de uma espera infindável de situações e coisas que terão uma solução por si só, deixando o resultado de sua prosperidade e propósito a cargo de quem consegue agir primeiro, de uma nada mera analogia com o termo “bem alimentado aquele que dá o bote antes”. Baseada em nosso mais puro julgamento depreciativo ou incoerente, onde tudo está à mercê de emoções tão catastróficas e flageladas, tornando-nos capazes de agir como grandes répteis que não pensam em nada além da sua própria sobrevivência.

Vamos lá! Bora comer o outro antes que ele me coma.

Trabalhamos em frente ao outro somente a estratégia de como podemos sair vencedores, alimentados e sobreviventes. Investimos nosso tempo nas relações espelho apenas para que possamos devorá-lo? Sério mesmo? 

nos entupir do ego, da carne e das vísceras daquele que um dia se conectou a nós por esperança e não pela espera de um banquete de emoções.

eu e você estamos ai esperando somente para quem tera a dose mais letal de veneno para aniquilar o outro, ao inves de deixar absolutamente toda essa dose de tortura de lado e unir nossa maneira de pensar e sentir.

Você deixa na mão do outro as chaves das suas portas de espelho disponíveis para aquele que em sua frente, entre e mergulhe no seu oceano da psique e faça o que bem entender. Nossa que elevação em meus amigos, do que adianta então aprender a falar 5 idiomas se você em silencio, ternura e generosidade não consegue se comunicar?

Rasgando completamente o contrato que você possui consigo sobre a auto tomada de decisões, pois desde sempre você foi acostumado a ficar parado exatamente no mesmo lugar só no aguardo do melhor bote que você dará. Lindo. Incrível. Poético.

Uma maneira de aniquilarmos uma sociedade inteira apenas destilando venenos e treinando os mais vorazes a devorar cada um que pela nossa vida passa e se conecta. Assim destruímos a si, ao outro e a tudo.

Pra mim essa mensagem é límpida como a águas mais puras da terra. Sem nenhum mistério. Consigo até visualizar nitidamente sobre todas estas construções e concepções, afinal em muitas já fui e em muitas ainda serei persuadida e impulsionada a agir inconscientemente.

Eu prefiro acreditar que Deus nos fez desta forma para que pudéssemos ver no outro o que em nós existe. assim a única maneira de entendermos o outro está em enxergamos a si mesmos. Cumprindo com o propósito de nossos projetos e diretrizes pessoais. Mudamos em tudo, mas não alteramos nossa matriz pensante se não nos questionarmos do que ali estamos enxergando.

Cada um de nós não foi colocado ao mero acaso de frente um para o outro.

Nenhum de nós está aqui a passeio para esperar uma ascendência qual seja ela, escolhemos pelo que vamos esperançar e em quem vamos projetar esse perdão de si mesmos.

Penso que, ejetar-se dos nossos próprios julgamentos pode ser uma das diretrizes mais sensatas da qual tomamos o papel de grande protagonista do nosso processo de reconhecimento e expansão.

onde há de pairar sobre qualquer tipo de conexão, todo tipo de perdão e de mudança verdadeira em nossas vidas.

e ao termino desta talvez epifania, me encontro com a minha dose humana disposta a perdoar o ontem e desejar nao mais me alimentar da carne de ninguem, pois eis que não serei uma das responsáveis por acabar com a capacidade que o outro ainda tem de me nutrir.

acredito que este seja um único fato que pode basear um universo inteiro.

esperança e perdão.

Transformação Criativa
Andressa Martins Padilha
Andressa Martins Padilha Seguir

Me chamo D, de andressamartinspadilha. CEO da And. art - Expansão Criativa e produzo uns textos sem pé nem cabeça que fazem todo sentido. Vivendo nesse mundo, desenvolvendo estratégias e uns planos de negócios que fazem sentido só na NOVA ERA.

Ler conteúdo completo
Indicados para você