[ editar artigo]

A origem da criatividade - (viagem imaginária)

A origem da criatividade - (viagem imaginária)

Antes ler esse artigo quero te pedir uma coisa: coloque para tocar Bolero de Ravel, minha trilha sonora durante a escrita desse artigo. Faça isso, quero te mostrar uma coisa...

Este não será apenas mais um texto legalzinho para ler e curtir, pois nesse momento você está prestes a ter uma experiência única e incrível, minha missão será essa, ok!?
Já deu o play na música? Se ainda não, vai lá, eu te espero... Vamos começar!?

Quero que você sinta a música como um convite da sua imaginação. Quando a música começar, feche os olhos por um minuto e perceba que a melodia vai te chamar para uma marcha, vá! Imagine-se andando no ritmo da música, não pare de imaginar... Faça isso, eu te espero, depois de um minuto volte aqui!

Já que agora estamos andando juntos no mesmo ritmo, venha! Me siga nessa aventura!
Nós vamos conhecer um lugar mágico hoje, cheio de ideias e imagens belíssimas... Vamos conhecer a origem da criatividade.

Imagine que durante essa leitura vai crescendo asas em você e essas asas crescem na medida em que você continua comigo nessa caminhada até o final.

VEJA! Tem uma porta para gente atravessar! E tem uma frase escrita nela: "não existe um grande gênio sem uma pitada de loucura."

Vamos atravessar, venha! Estou ansioso para saber o que tem do outro lado.

VEJA ISSO! Nós estamos na Grécia antiga, que mágico! Veja esses monumentos incríveis, toda essa arquitetura que nem parece que foi feita por humanos. Quem construiu precisou de muita criatividade, né? Olhe para o seu lado esquerdo, tem uma fonte de água, vamos lá?

Huuum, parece que muita gente passou por aqui... Veja as marcas de desgaste nas pedras do chão. Vou experimentar se a água é boa, quer provar? Opa, espere um pouco... Tem algo escrito no fundo da fonte e está dizendo: ''O impossível reside nas mãos inertes daqueles que não tentam."

EUREKA! Então, nós devemos criar algo juntos! Vamos beber logo a água e continuar nossa caminhada melódica, ainda temos muitas coisas para ver, ok? Mas sinta o ritmo da música e continue andando comigo.

Agora, estamos chegando próximo de um grande templo, parece uma Acrópole, afinal nós estamos no ponto mais alto da cidade e vamos entrar para descobrir o que tem lá dentro, certo?

Nossa, que belo lugar! Veja o tamanho desses pilares talhados em pedras únicas... Perceba o tamanho daquelas estátuas dos deuses gregos... Isso é incrível!

Ei, espera! Tem nove estátuas, uma do lado da outra, bem no fundo do templo. Você vem ver comigo? Me parece que possui algumas descrições em cada uma, veja...

A primeira diz: "Seja poeta às vezes, a poesia esconde segredos que podem te ajudar a dizer coisas com o Coração e sentir com a Alma, creare é criar."


Huum, interessante, né? Também tem um nome, está escrito Calíope. Seguimos...

Veja a outra estátua, na descrição diz: "Exponha a sua mensagem ao mundo e eu te ajudarei a propagá-la, creare é criar." Acho que está dizendo para gente se expor mais, né? Veja o nome dela, está escrito Clio. Vamos ver a outra...

Nossa, essa é encantadora e na descrição diz: "Sinta o prazer e o amor, esse é o bálsamo que lambuza teu corpo diante de uma grande ideia, creare é criar." Deixa-me ver o nome dela, se chama Érato. Seguimos para a próxima!

Nossa! Essa possui uma flauta na mão e na descrição está dizendo: "A música é aliada da alegria se você quiser. Uma música já foi uma ideia que antes habitava minha casa, se quer ter grandes ideias escute grandes músicas, creare é criar."

Parece que ela adivinhou, ainda bem que estamos escutando o "Bolero de Ravel" enquanto descobrimos tudo isso, o nome dela é Euterpe, está vendo?
Vamos para outra...

Veja, essa me dá medo hein?  Ela está segurando uma faca e na descrição diz: "A dor e os problemas são oportunidades para vocês criarem coisas que amenizem meus feitos, minha missão é causar problemas, sem mim não existe motivo para criar, creare é criar."

Que reflexão interessante, né? O nome dela é Melpômene. Legal, vamos ver a outra?

Olha essa, parece pensativa, o que diz aí na descrição? Vejamos: "Sempre busque inspirações, tenha momentos reflexivos para que você consiga olhar para dentro e extrair suas melhores ideias, creare é criar."

Ei, acho que ela tem toda razão, certo? Pois dentro de nós tem muita coisa bela! Está escrito que o nome dela é: Políminia. Ok, próxima!

Mas espere um pouco: você ainda está andando comigo, certo!? Vamos lá, caminhe no ritmo da melodia...Tarararam tarararam tamtam...

Vejamos a próxima estátua, o que diz na descrição é: "Busque sempre um movimento contínuo até perceber a dança constante que cria tudo, creare é criar."

Então, a descrição diz que devemos continuar o movimento, não vamos parar então! Huum deixe-me ver o nome dela, se chama: Terpsícore. Vamos observar a próxima.

Vou ler o que está na descrição desta outra: "Celebre o que você criou, lembre-se que uma ideia só será realizada nas mãos de quem é apto, comemore suas ideias pois, creare é criar."

Faz todo sentido, sempre que nós tivermos uma grande ideia e conseguirmos colocá-la em prática, nós devemos comemorar!

Ei, no final dessa viagem quero comemorar com você, tá!? Deixe-me ver o nome dessa aqui, se chama Talia. Ainda falta uma, vamos ver?

Veja, essa última está olhando para o céu, parece contemplar as estrelas. Vamos ler o que diz na descrição: "Lembre-se do universo e do seu infinito tamanho, saiba que grandes ideias vagam lá e que esse mistério pode te ajudar a enfrentar o desconhecido, creare é criar.”

Nossa, estou encantado com todas as estátuas e o nome dessa última é Urânia! Bom, já que acabou vamos sair do templo então... Mas espere aí: o que está escrito ali em cima do portal de saída?

Diz: "Saia deste templo íntimo das 9 musas inspiradoras e elas te acompanharão, você terá o poder do Creare, a origem da criatividade, podendo criar tudo o quer quiser e ter acesso as ideias únicas, você é um(a) criático(a)."

Opa, vamos ser íntimos das musas? Ok, vamos sair, chegou a hora!

Uau, que lugar incrível a gente visitou! Vamos aproveitar que o Sol já está se pondo aqui na Acrópole para fazermos uma reflexão?

Nesse instante, quero que você sinta o vento que bate no seu rosto e isso te faz memorizar tudo que viveu dentro daquele templo. Feche os olhos por 20 segundos e respire... Sinta o poder da música, a trilha sonora desse momento...

Faça isso e depois volte aqui pra gente concluir. Eu te espero, tá!?

Nesse momento, quero finalizar essa aventura ao seu lado. Foi muito bom, obrigado pela companhia, nós criamos um vínculo criativo, né? Se sim, minha missão foi cumprida.
Se você chegou até aqui comigo, sua asa já deve estar bem grande, então, chegou a hora de dar asas a sua imaginação, voe sem medo!

Espero que você tenha tido uma experiência incrível, principalmente, que tenha descoberto a origem da criatividade (creare) com essa viagem criativista ao Templo das Musas. Lembre-se da mensagem escrita no portal de saída, hein?

Já que a gente viajou juntos, posso te pedir um favor antes de me despedir? Se você curtiu nossa caminhada, a música, a viagem e toda a mensagem deixada pelas musas, me procure! Quero saber o que você visualizou e descobrir se foi o mesmo que eu... Afinal, devemos usar a criatividade para construir as coisas e por que não construir juntos?

Um abraço visionário,

Sérgio da Silva

Se conecte comigo no Instagram: @sergio.consulting | @galgar.br

Ah, se a música ainda estiver tocando, aprecie-a até o final... Vale à pena!

Transformação Criativa
Sérgio da Silva
Sérgio da Silva Seguir

Sou Sérgio Silva, creio em um mundo melhor construído através da Criatividade, Tecnologia e Seres Humanos. Sou consultor de negócios que precisam de uma luz diante da escuridão matadora provocada por mudanças rápidas demais. E fundador da Galgar.org

Ler conteúdo completo
Indicados para você