[ editar artigo]

A emoção é amiga da razão (Por mais que ainda tentem separá-las!)

A emoção é amiga da razão (Por mais que ainda tentem separá-las!)

(O tema desse artigo foi o motivo-base para várias expulsões de classe que tive (por contestações) na escola … Acho que no final você vai entender o por quê).

Tentaram separar a emoção da razão, mas até as maiores descobertas científicas foram estimuladas pelos sentimentos e pela intuição. É incrível como até hoje persiste o mito de que as emoções são interferências nocivas no desenvolvimento das atividades racionais.

A própria ciência — que vem desde o iluminismo tratando a emoção como inimiga fundamental da razão e do desenvolvimento científico — está descobrindo que os dois lados do cérebro ‘trabalham’ cooperativamente nos avanços mais sofisticados que a humanidade obtém.

Hoje, a ciência sabe que as emoções atuam em conjunto com a cognição e mesmo os processos mais intelectualmente racionais dependem da contribuição emocional. O que ainda não se sabe é como a integração entre essas duas funções aparentemente opostas se dá no cérebro humano.

Para começar, em uma descoberta científica não ocasional é preciso que o cientista esteja “obcecado” pelo assunto de sua pesquisa; somente assim ele vai poder buscar correlações em coisas inesperadas em todos os momentos do dia-a-dia: jantando, tomando banho, passeando etc etc etc.

Pensando bem, o que leva uma pessoa a se fixar ‘doentiamente’ em um assunto? A emoção! Seja por prazer, por “encucamento” com o problema, por inconformismo, pelo que for, é por emoção. E isso, só pra começar.

A seguir, vejamos: o pensamento racional faz recortes e interconexões lógicos entre fatos, ideias e suposições até certo ponto. Depois disso, ele precisa do envolvimento emocional que vai promover um “bolo” entre suas vivências e conhecimentos passados, misturar tudo em fogo brando, até chegar à iluminação sobre novas direções a seguir na pesquisa ou o rumo à solução.

Mesmo Einstein teve o insight da Teoria da Relatividade (claro, depois de pesquisar e pensar muito) quando estava no bonde e viu o reflexo no vidro da janela em relação a paisagem que via passando de fora, na rua. Se isso não recorre às competências do inconsciente, onde transitam emoções poderosas, não sei mais a que poderia ser.

Ciência = Razão + emoção

Cientistas e inovadores têm em comum uma obsessão própria na busca de descobertas, um envolvimento absurdo com o assunto que estão desenvolvendo. E nenhum processo racional pode influenciar nisto. São as emoções que permitem o foco de interesse e da atenção continuados como, por exemplo, quando estão levando normalmente suas vidas e aquela ideia que buscam os fica beliscando no “canto do cérebro”, rs!

Estudos vêm mostrando que a emoção funciona como um filtro contra o excesso de informações a que estamos expostos, além de gerar um senso de prioridades e influir na categorização do que consideramos mais relevante e memorável para nós.

A cientista Ilona Stengel (em seu video do TED*) conta sobre o desenvolvimento da tecnologia OLED em que esteve envolvida por dezessete anos. Ela ressalta que ciência não deve trocar emoções por fatos, e sim utilizar as emoções para implementar e catalizar os fatos. Ela complementa dizendo que a razão e emoção são complementares nas pesquisas científicas.

É claro que os processos emocionais por que passam cientistas quando falham ou quando estão em busca de soluções cruciais são duríssimos. Essa é a parte não contada da história, mas a angústia, as dúvidas existenciais etc compõem e permitem aflorar aspectos do nosso subconsciente que vão influenciar diretamente na descoberta dos novos caminhos de pesquisa e de abordagens para que se consigam atingir fatos e resultados concretos.

 

Criatividade (Razão e emoção)

O endeusamento da razão está chegando ao fim. Ela (sozinha) vem se mostrando incapaz de entender/ajudar o ser humano em seus múltiplos desafios desde o final do século 20.

Depois das duas primeiras décadas do século 21 ficou óbvio o óbvio, que é a importância da criatividade para além das pessoas chamadas ‘naturalmente criativas’.

Também fica cada vez mais claro o fato de emoção e razão serem indissociáveis para criar (em qualquer área do conhecimento e dos negócios), além de que a carga emocional e as conexões racionais que a mente faz estarem emaranhadas em uma mesma teia.

Domenico de Masi diz que a criatividade é a síntese da razão com a emoção. No Congresso LIV Virtual (*), durante a quarentena de 2020, ele acrescentou:

“Temos que formar um adulto que saiba conciliar bem: o estudo, o trabalho e o lazer; que saiba conciliar bem a emotividade com a racionalidade, e que seja criativo”.

Cito o cientista Roger Nelson (*) para ratificar como as emoções agem definitivamente até nas atividades mais racionais da humanidade:

“A criatividade requer algo como a aceitação da intuição, aceitação da inspiração como ponto de partida para ideias que se revelam profundas, importantes, mesmo as ideias científicas. Se você se abre pro cosmos, você se abre para novos conhecimentos”.

 

Conclusão

Tudo o que eu queria era ver uma sociedade de adultos com:

  • a curiosidade aguçada
  • com grande margem para suportar dúvidas e deixar perguntas em aberto
  • com a imaginação violentamente inviolada
  • com a inteligência sensorial funcionando aos choques em todos os poros do corpo
  • com uma percepção aberta, assustadora e clarividente

… diferentemente do adulto com tudo o que ele tinha na infância e que roubaram durante o processo educacional (do século 19) que ainda hoje vige.

Será um sonho? As crianças mantendo seus potenciais criativos selvagens durante a idade adulta?

Quem sabe isso aconteça no fim do século 21, começo de século 22?

Alguém aposta que será antes disso?

 

CITAÇÕES

(*) Congresso LIV Virtual 2020 - Entrevista com Domenico de Masi

(*) Vídeo TED: The role of human emotions in science and research | Ilona Stengel (EM INGLÊS)

(*) Roger Nelson, PHD/ Director, Global Consciousness Projector /                                     in: Documentário "Poder da mente: segredos ocultos" (Canal Discovery)

 

CONHEÇA MEUS BLOGS!

Comunicar e Vencer

Como Ser Relevante em um Mundo Mutante

Mídias Sociais: @AlvaroNassaralla

EMAIL: alvaronassaralla@gmail.com

 

Transformação Criativa
Ler conteúdo completo
Indicados para você