[ editar artigo]

A Criatividade é a nossa Essência ou nossa Essência é a Criatividade?

A Criatividade é a nossa Essência ou nossa Essência é a Criatividade?

Meu bebê de 10 meses já está engatinhando. Explora toda a casa. Mas tem um lugar que chama muito sua atenção, o banheiro. Quando abrimos a porta do banheiro, ele pode está em qualquer lugar da casa, em um segundo, lá está ele mexendo no armário do banheiro. E sabe porquê? É o local da casa que mais tem coisas para ele explorar, por ser mais restrito, é o menos visitado. Lá é o local onde tem mais objetos desconhecidos. Os outros lugares da casa já não tem mais novidades.

Observar essa experiência do meu bebê, me fez lembrar como a criança é curiosa, exploradora, vive no momento presente, não tem medo do que os outros vão pensar dela, apenas faz. E todos esses elementos são imprescindíveis para ser criativo, dessa forma, não tem ser mais criativo que uma criança que vive plenamente sua infância.

Pensando dessa forma, vem um questionamento: Porque temos tantos adultos que não vivem suas vidas de forma criativa? Por que tantos adultos falam que não são criativos? Eu mesma já falei isso.

Aí é só a gente pensar um pouco sobre como foi a educação da maioria dessas pessoas “não” criativas. Não éramos incentivamos a perguntar. Ouvíamos muito o “porque sim” e “porque não” sem explicação que faria algum sentido. Nos falaram que era para copiar. Nos falaram que era para responder do jeito que o professor queria.  Só existia uma resposta correta. Errar era uma coisa muito ruim e feia. Tínhamos que evitar o erro a qualquer custo. Não tínhamos liberdade para nos expressar. Não tínhamos liberdade para falar. Tínhamos que ser quietos, nada de se mexer muito, pois isso era coisa de criança bagunceira. Ouvia NÃO para tudo. “Nada de viver no mundo da lua”. “Nada de viajar na maionese”. Precisamos entrar no “padrão” para ser aceito na sociedade.

O que vem a minha mente quando penso nessa educação que poda o indivíduo de se expressar é que nascemos nus, prontos para desbravar o mundo. Mas vão colocando em nós camadas de vários tipos e tamanhos. A camada do “não faz isso”. A camada da vergonha. A camada da timidez extrema. A camada “do que vão pensar de mim?” A camada do único caminho correto. A camada do “não posso errar”. E no decorrer da nossa infância e adolescência só vai aumentando essa camada. A ponto de chegarmos na vida adulta, olharmos no espelho, e não conseguir enxergar mais quem eu sou de verdade. Não sei qual a minha essência. Perco-me tentando entrar no padrão pré-estabelecido.

E o grande desafio da vida adulta é se descamar. Tirar essas camadas que escondem quem eu sou. Tirar as camadas que escondem meu potencial criativo. O caminho dessa descamação se chama Autoconhecimento. Através desse processo eu posso descobrir que na verdade eu sou criativo e que só estava escondido embaixo do que colocaram em cima de mim.

Isso me faz perceber que nossa essência é ser criativo e que a criatividade mora na essência. Se descubra e conheça o quanto você é criativo e como você consegue solucionar problemas de várias formas possíveis. Permita-se pegar caminhos diferentes.  Erre várias vezes e aprenda com seus erros. Liberte-se da necessidade de agradar ao outro. Liberte-se da vergonha. Seja vulnerável. Seja imperfeito. Tire a culpa. Tire o peso das camadas, se conheça e viva a plenitude do ser criativo.

Transformação Criativa
Lidieide Sales Aguiar
Lidieide Sales Aguiar Seguir

Sou pedagoga, especialista em Saúde Mental, mãe, futura psicóloga, criadora de conteúdo digital, apaixonada pela nossa essência criativa, encantada pelo ser humano, redescobrindo minha humanidade, em processo de autoconhecimento.

Ler conteúdo completo
Indicados para você