[ editar artigo]

3 Cs da Transformação: Compreensão, Conexão e Coragem

3 Cs da Transformação: Compreensão, Conexão e Coragem

A ideia deste artigo veio de um sonho. Eu estava na Índia e lá estavam acontecendo protestos. Tinha zero sanidade básica, crianças brincando faceiras na água de esgoto, aquele estereótipo que vemos na TV mas que sabemos que não é assim em toda a Índia.

Eu estava lá para escrever e ia me encontrar com uma monja (que na minha cabeça era a Coen, mas não era ela, era um guru hindu, o que faz mais sentido). Nós dois sentados no chão no canto de uma sala cheia de pessoas, falamos sobre a situação do país, sobre a tensão dos protestos e reflexões sobre como aquilo me impactava.*

Dessa reflexão me veio a ideia do texto: sair fora da caixa, fora da zona de conforto, requer Compreensão (no sonho, compreender a cultura da Índia), Conexão com as outras pessoas e consigo mesme**, e Coragem de acreditar que vai dar certo, confiança na sua intuição.

Tem tudo a ver com meu momento, pois acabo de me mudar para Porto Alegre para morar com gente nova, numa cidade nova pra mim.

Compreensão, ver com Empatia o lugar do outro

Fotografia de Terry Boynto - via Unsplash

No sonho em que eu estava num lugar totalmente fora da minha zona de conforto, numa cultura diferente, num ambiente totalmente diferente com pessoas ainda mais diferentes com suas peculiaridades e, ainda, em meio à um momento politicamente conturbado, era preciso muita compreensão sobre o que estava acontecendo e o que aquelas pessoas pensavam, o que era importante pra elas.

Empatia, se colocar no lugar, ver com os olhos das outras pessoas, sentir com o coração delas.

Isso é necessário sempre que estamos num lugar diferente, ou mesmo na nossa casa na companhia de outras pessoas. Lembrar que temos visões de mundo diferentes e vivências diferentes, compreender isso, valorizar e respeitar.

É algo que tenho refletido bastante desde que encontrei esse cantinho lindo pra morar com novas amigas. Também por estar numa nova cidade, compreender o ritmo das pessoas daqui é algo extremamente necessário para a conexão com o lugar.

Por isso a Compreensão é de certa forma um pré-requisito para a Conexão. A palavra poderia ser Empatia também, mas achei bonitinha essa coisa dos "3 Cs" pro título, rsrs. Na real, não existe compreensão sem Empatia, então está implícito.

Você já esteve num lugar diferente (claro que já, me conta) em que você precisou parar e pensar "preciso compreender o que está acontecendo, compreender essas pessoas, a partir daí posso seguir em frente"? Se quiser, me conta nos comentários que situação foi essa.

Pra mim, isso acontece sempre que me mudo de cidade (o que amo, mudança). Sempre tem aquele período de adaptação onde preciso "pousar", mapear e compreender o novo ambiente.

Conexão com as outras pessoas e consigo mesme

Quando a gente consegue se olhar com empatia consegue perceber nossas forças e fraquezas com carinho e vulnerabilidade, e se conecta com nosso Eu interior, a nossa consciência.

Quando a gente consegue olhar as outras pessoas com empatia, consegue compreendê-las no seu espaço e acontece a conexão.

É como estar agora morando na casa de alguém que saiu mas deixou tudo ali, com todos os detalhes, com todas as plantinhas, os quadros (o quadro da Frida Kahlo, principalmente), os livros (vários feministas ❤) os incensos e as velas.

Todos os objetos de decoração, cada cantinho com um cuidado especial... e você está ali agora, observa tudo e imagina qual foi o sentimento, a intenção da pessoa ao colocar cada coisa em cada lugar daquele jeito especial só dela. Você se conecta com o lugar e com a pessoa.

É assim com o lugar onde estou morando agora. Observar como cada cantinho tem o detalhe acolhedor com o olhar de quem veio antes, isso me faz compreender e conectar um pouco com essa pessoa.

Na situação do sonho na Índia, por exemplo, habitat totalmente diferente: ao observar as dores daquelas pessoas, os seus protestos, seus pedidos por sanidade básica, alimentação e educação... as crianças inocentes sem entender muito bem o que estava acontecendo e, ao mesmo tempo, brincando na água suja.

Compreender aquele cenário faz com que eu, como escritora da matéria da qual, no sonho, estava lá para escrever (quem sabe um dia, né?), me conecte de certa forma com aquelas pessoas e sinta um pouco do que elas sentem.

Conexão leva à Transformação, porque quando você se conecta com alguém ou com uma causa, você muda e não consegue mais ignorar, você se transforma!

Coragem: ousar confiar na ruptura do "normal"

Coragem de estar aberta e vulnerável para entrar na nova experiência. Coragem de confiar na própria intuição.

Fotografia Shubham Bochiwal - via Unsplash

No meu sonho na Índia: coragem de simplesmente estar lá fora da zona de conforto, de estar em contato com a cultura e abranger tudo aquilo para criar uma matéria para o contexto.

Na vida: ousar ir contra o que me falaram sobre a mudança de que "é muito difícil, de que cidade grande é perigosa, você não conhece as gurias, pipipipópópó", que ouvi de pessoas que nunca saíram da zona de conforto, que raramente fazem algo diferente do "normal".

Coragem de seguir a minha intuição, de ouvir a voz da minha consciência interior, aquela que não vem da cabeça mas do coração quando você simplesmente sabe que está dando o passo certo.

Não só sobre mudanças mas sobre todas as coisas que a gente quer fazer na vida. É preciso compreender a si, às outras pessoas e o lugar. Pra poder se conectar à si mesme, às outras e ao lugar.

A coragem não é um "passo 3" mas sim algo que você precisa agarrar em todo o processo de transformação.

A coragem também não é a ausência do medo. É fazer mesmo com medo, porque você confia. Como dizem as gurias do @festivaldacoragem:

Coragem, quanto mais a gente usa, mais a gente tem. O medo também.

#FestivaldaCoragem

Tudo depende do que você acredita (tenho essa frase escrita no meu espelho), e quando você confia nisso e ousa romper as paredes da caixa que você mesme tinha criado pra você, você flui e se transforma.

Seja na Índia ou em qualquer lugar que você esteja agora lendo este texto, me conta, conectou contigo essa ideia?

Que situação você já se percebeu fazendo exatamente esse movimento dos 3 Cs intuitivamente na tua vida?


*Sim, eu tenho sonhos bem nítidos e muitas vezes me lembro bem depois.

**Sim, meu bem, é "mesme", com E, na linguagem não binária (neutra), mais inclusiva e respeitosa com pessoas não binárias (feminino-masculino). Tá certo.

Fotografia da capa: Ganesha - de Artem Beliaikin - via Unsplash

Ganesha na cultura hindu é o deus "destruidor de obstáculos", deus do intelecto, sabedoria e fortuna, relacionado confiança na abundância para a transformação.


A AUTORA:

Sou Bibiana Rabaioli, criadora de conteúdo, redatora, escritora e acredito na escrita conectiva para a criação de conteúdo que se guia pela liberdade, simplicidade e criatividade.

Me siga no meu Instagram: @bibiana.rabaioli

O meu site é bibianarabaioli.com

Vamos nos conectar no LinkedIn também, clica aqui.

Transformação Criativa
Bibiana Rabaioli
Bibiana Rabaioli Seguir

Criadora de conteúdo, aspirante à nômade digital. Vegana, praticante de Yoga. Criação de conteúdo com liberdade, simplicidade e criatividade. Marketing digital pra ensinar mulheres empreendedoras a criarem o próprio conteúdo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você